14/04/2015

Qual presente você gostaria de ganhar? Conheça os mais inusitados do mundo!

Você gosta de ganhar presentes? É natural do ser humano presentear uma pessoa querida ou alguém próximo como gesto de afeto e consideração. Há até datas comuns a várias culturas nas quais os presentes são ponto fundamental: Natal, Dia das Mães, Dia dos Namorados… Em todos os lugares do mundo isso acontece. Agora, nem todo presente é igual em todo lugar. Encontramos algumas curiosidades sobre o hábito de presentear de alguns povos que, se não são estranhos, pelo menos são curiosos. O presente é pra você, mas você não pode abri-lo. Não aqui. Não agora. article-2591253-1CA6751000000578-359_634x467 -“Tudo isso é pra mim, e não rola de abrir nada?” -“Não.” É isso mesmo. Ele é seu. Te deram porque gostam de você. Mas se você abri-lo na hora que receber vai ter a sensação de que não vão muito com a sua cara… Para nós, brasileiros, abrir um presente na frente de quem o deu é, às vezes, até um sinônimo de educação. Pra não parecer desfeita, sabe? Pois para algumas culturas do Oriente Médio e na Índia a coisa não é bem assim. Nesses lugares o que conta é a discrição. Se te dão um presente ele é seu, mas é só seu! Não abri-lo e sair mostrando pra todo mundo. E nem pode comentar sobre ele depois. Agradeça, guarde-o e vida que segue. Ser criança na Letônia deve ser fantástico! christmas-special-for-car-lovers-how-to-write-a-thank-you-letter-to-santa-claus-41453_3 “Doze dias de presente… Por que eu aceitei esse emprego?...”  As crianças da Letônia são as mais felizes do mundo! Lá eles comemoram o Natal, mas um pouco diferente do resto do mundo. Os letões presenteam suas crianças durante doze dias seguidos. Doze dias! A sogra aprovou o presente. Pode casar. taraba-cluster_etkywan_1 Formandos do 32ª Curso de Bijouteria - Pulseiras e Anéis do povo Shamba Daka Parece até história de novela. O rapaz leva um presente pra garota e ela mostra pra mãe que diz: “esse rapaz tem bom gosto”. É assim que começa um noivado na sociedade dos Shamba Daka, na Nigéria. O rapaz presenteia a garota com quem deseja casar-se com um anel e uma pulseira. Ela leva os presentes para a mãe, que junto com o pai avalia a proposta. Se aceitarem a união a pulseira e o anel se tornam uma forma de contrato, uma garantia formal de que aquele rapaz tem que se casar com aquela menina. Seja bem-vindo! Tome minha mulher!... Inupiat Family from Noatak, Alaska, 1929, Edward S. Curtis“Já vai dormir?"  - “Não, não, vamos conversar mais um pouco! O papo tá bom…” Sério, essa é a mais estranha de todas. Na cultura esquimó o visitante é muito especial. Muito mesmo! Tão especial que é oferecido a ele uma mulher para que passe a noite. Mas veja bem, não é qualquer mulher: é a esposa do anfitrião! E se ele não tiver esposa ou se ela estiver impossibilitada de dormir com o visitante, eles oferecem a mulher mais alta da aldeia. Esse é um hábito antigo dos esquimós. Muitos pesquisadores acreditam que surgiu da necessidade inconsciente de troca genética entre aldeias, já que eles viviam muito isolados e em grupos bem pequenos. Hoje, com uma população maior e mais integrada com estradas e meios de locomoção, esse hábito está sendo deixado de lado por eles. Tudo isso é muito esquisito, e há quem chame de “autêntico”. Nós também gostamos de ser autênticos, mas sem exagerar muito. Selecionamos aqui outras cinco formas diferentes (mas legais) de presentear. Confira!